Paris para os íntimos!


Paris com Crianças 2 - Crianças Pequenas

17/11/2014 20:45

A melhor coisa que pode acontecer em nossas vidas são os filhos, quando vêm em dose dupla então, é melhor ainda! Desde que Murilo e Alice nasceram, queria voltar a Paris com eles: dividir com eles uma parte da minha vida, e redescobrir Paris pelo olhar deles. Arrumamos as malas e partimos em abril de 2014, eles ainda íam fazer 2 anos. Eu estava muito feliz e muito apreensiva: o avião, o fuso horário, a comida, será que eles iriam aproveitar alguma coisa?... Só posso dizer que a viagem foi uma delícia! Eles se comportaram super bem e A D O R A R A M! Ufa!

 Ainda hoje lembram da viagem e perguntam quando vamos lá novamente... À noite, antes de dormir, eu conto uma historinha para eles, e dentre as favoritas está a historinha de Paris!

Então, não podia deixar de contar para vocês como foi a aventura e passar todas as dicas! Paris definitivamente é uma cidade para crianças!!!

Viajando com crianças pequenas

Vou começar com algumas dicas (que me ajudaram muito) para viagens em geral com crianças pequenas.

1. Converse sobre a viagem

Antes da viagem conversei muito com Murilo e Alice sobre Paris e sobre os amigos que iríamos encontrar, sobre o avião, sobre o frio, tudo que achei que seria diferente para eles. Parece que eles entenderam o recado e perceberam minha empolgação com a viagem, eles estavam super animados no dia.

2. O Vôo

Saímos de Recife à noite para Lisboa com conexão para Paris. Não cheguei muito cedo no aeroporto, levei o carrinho para a sala de embarque, onde eles ficaram dormindo até o vôo. Eles viajaram de pijaminha, levei uma muda de roupa e um casaquinho. Viajando com crianças você pode levar todo tipo de comida para eles, então levei de tudo: mamadeira, suco em caixinha, iogurte, fruta, papinha, biscoito etc... e não tive nenhum problema para embarcar. PS: Também levei um verdadeiro kit primeiros socorros, inclusive com bombinhas e antibiótico que Murilo estava tomando, sem problemas no embarque. A comida, além de resolver a fome, é uma diversão para os pequenos entediados. Além disso, descobri que criança de colo não tem direito a serviço de bordo! 

Outra coisa fundamental para o avião: o ipad (ou equivalente), e um brinquedinho de estimaçao. No vôo da volta os comissários da TAP deram uma sacolinha de presente para os meninos. Tinha um livrinho de colorir, quebra-cabeça, um bichinho de pelúcia e um kit de higiene. Eles adoraram.

Eles dormiram o vôo todo de Recife para Lisboa (já eu, não tive esse privilégio...). O vôo estava lotado e eles foram no nosso colo. Eles tinham peso adequado para usar o bercinho, mas já eram grandinhos e não quiseram ficar no berço. Um detalhe importante que eu não sabia: cada fileira de cadeira no avião só tem uma máscara de oxigênio suplementar para crianças de colo, então as duas não podem ir na mesma fileira... dica importante na reserva dos assentos. Quando chegamos em Lisboa eles acordaram e curtitam muito o aeroporto. Trocaram de roupa e comeram bem (o primeiro brunch da vida deles!). 

 

 

Depois pegamos o outro vôo para Paris, dessa vez eles viram o avião decolando, curtiram demais, e depois dormiram de novo!

3. Desacelere e relaxe

O ritmo de uma viagem com crianças pequenas é muito mais lento do que só com adultos. É importante saber disso e saber que não vai dar para fazer tudo o que você quer. Assim, os pequenos não se estressam e você também não. Murilo e Alice têm uma rotina bem definida em casa, mas viajando não me preocupei muito com horários. Eles foram se adaptando à programação e eu adaptando minha programação a eles. Por exemplo, na hora da soneca deles, procurava passear pela rua, ou tomar um café e eles dormiam tranquilos no carrinho. Outra coisa que não dá para estressar é com a comida. Procurei ter sempre comidinhas saudáveis para eles, mas o pacotinho de biscoito estava sempre à mão para emergências.

4. Fuso horário

Murilo e Alice mantiveram o fuso do Brasil, o que foi muito conveniente para a gente. Saíamos tarde pela manhã mas ganhamos algumas horinhas preciosas à noite para passear. Por isso, não posso dizer como fazer para adaptar as crianças a um fuso, se bem que eu acho que não dá trabalho.

5. Hospedagem

Ficamos alguns dias no interior na França na casa de amigos, e em Paris ficamos num apartamento oferecido por um amigo. Acho que é a melhor opção de hospedagem. Os quartos dos hoteis em Paris são muito pequenos, e é difícil encontrar os raros quartos triplos ou conjugados disponíveis. Além disso, um apartamento tem espaço para os pequenos andarem, se movimentarem. Tem também a facilidade das refeições, a possibilidade de preparar um lanchinho para levar durante o dia... 

6. Comendo em Paris com crianças pequenas

Tomamos café no apartamento todos os dias. Fazer a feira num supermercado parisiense e comprar o pão (e umas gostosuras mais) numa patisserie já fazia parte da minha programação antes mesmo de viajar, então tomar café no apartamento foi uma delícia. Baguette, croissant, pain au chocolat, geleias, nutella, queijinhos brancos tipo la vache qui rit, framboesa, cereja e morango. O sucesso com os pequenos foi o pain au chocolat e o pain au lait com queijo branco esquentado no forno. Esse pain au lait é uma delícia, fica muito bom com nutella também.

Também jantamos no apartamento na maioria dos dias. Os restaurantes franceses são apertadinhos e silenciosos, poucos são "kids friendly". Não conseguia vislumbrar a cena de jantar com os meninos cansados e irritados no final do dia num restaurante desses... As mães que leram o livro "Crianças francesas não fazem birra" sabem do que eu estou falando. Por falar nisso, recomendo demais esse livro! O pior é que eu sabia que o livro era verdadeiro, e que o comportamento dos francesinhos é sempre exemplar. Então evitei restaurantes mesmo. Foi um dos aspectos mais diferentes dessa viagem, não fui nos lugares que sempre frequentei, mas conheci uma Paris diferente e muito legal também. Apesar de que, na noite que jantamos num restaurante, o comportamento de Alice e Murilo foi nota 10, para a felicidade e alívio da mamãe!!! Jantar no apartamento não foi nenhum sacrifício, pude matar a saudade de muita coisa gostosa. Cozinhar na França é muito prático e as comidas prontas são deliciosas, principalmente as dos  supermercados Monoprix e da rede de congelados  Picard. No Monoprix existem porções individuais das etapas das refeições, desde a entrada até os queijos e a sobremesa, e inclusive garrafinhas individuais de vinho. Algumas lojas também têm uma patisserie. Há Monoprix espalhadas por toda Paris, é fácil encontrar uma. 

 

No Picard você compra de cebola picada a molho de foie gras, sushi e papinha infantil . Tem uma linha de pratos prontos que vem no prato mesmo, com a apresentação de um prato de restaurante. As lojas Picard não são tão numerosas como as Monoprix, você terá que procurar um pouco.

Além de tudo isso, na França comida é levada a sério desde sempre, então as opções de comidas para os pequenos é maravilhosa. Os pratinhos prontos são de dar água na boca. As papinhas têm diversos sabores inclundo vários tipos de peixe, vitelo, cordeiro, pato, legumes de verão, legumes de inverno etc. Uma verdadeira experiência de introdução ao mundo gourmet. Os sucos também são super gostosos e naturais. Murilo e Alice amaram esse de maçã e framboesa.

Uma coisa que eu adoro na França são as compotas de fruta. Geralmente são feitas sem adição de açúcar, são super gostosas e práticas. 

No almoço geralmente fazíamos um piquenique. Os meninos amavam a liberdade do piquenique e eu também. Geralmente a gente comprava as coisas numa patisserie ou Monoprix. Um dia comemos crepes no almoço, o primeiro crepe de Alice e Murilo, foi um sucesso. 

Outro dia compramos Falafel e fizemos um piquenique num parquinho de bairro no Marais.

O piquenique mais organizado foi o da Torre, com direito a um menu completo: carottes rapées, pâtes et poulet, fromage, framboises et fraises frais, chocolat. O primeiro piquenique na Torre de Alice e Murilo tinha que ser inesquecível não é? 

 

7. O carrinho

O carrinho foi uma peça fundamental para o sucesso da viagem. Inicialmente fiquei com medo, já que eu quase não usava mais o carrinho em Recife. Mais uma vez lembrava dos francesinhos super civilizados sentados calmamente em seus carrinhos e ficava imaginando como seria com Murilo e Alice... Foi um sucesso total! Não sei o que seria de mim sem o carrinho nessa viagem. Os meninos comiam, dormiam, descansavam e se divertiam no carrinho. Eles adoravam andar na rua, no ônibus e no metrô no carrinho. Foi muito bom para eles e para a gente. Uma das coisas boas em Paris é andar, e não dá para andar com os pequenos se não for no carrinho. Outra coisa muito boa é que eles conseguiam dormir (eles ainda têm uma soneca durante o dia), cada um no seu horário, enquanto a gente passeava.

 

8. Transporte

Encarei o metrô algumas vezes em Paris, mas não recomendo! Nem todas as estações têm elevador (ou se tem fica realmente muito escondido!), então andar de metrô se torna uma verdadeira aventura. Ou você tira a crainça e carrega o carrinho numa mão e a criança an outra (impossível no meu caso), ou sai carregando o carrinho com a criança pelas escadarias... Na entrada das estações de metrô tem uma porta mais larga por onde o carrinho passa. Às vezes a porta está fechada. Se não tiver um guichet por perto, tem um interfone por onde você pode pedir que a porta seja aberta.

Se táxi já é difcíl de conseguir normalmente em Paris, com 2 crianças e um carrinho é praticamente impossível, a não ser chamando pelo telefone.

A melhor opção é mesmo o ônibus. Os ônibus abaixam para o carrinho subir e descer, e dispõem de um lugar para "estacionar" o carrinho durante o trajeto. Muito prático e confortável.

Para o transporte para para aeroporto ou trajetos mais longos, o mais prático é o transfer privado. Informando que há crianças eles providenciam as cadeirinhas apropriadas.

Programação para os pequenos

 
Antes de ir para Paris, passamos alguns dias com a "família" no Val de la Loire (veja aqui algumas dicas sobre a região). Foi muito bom! Os pequenos se sentiram realmente em casa e puderam aproveitar o dia-a-dia tranquilo do interior da França. Acordavam e diziam "bonjour mamou" para a vovó francesa! Num passeio pela cidadezinha de Loches, subimos perto do castelo, de onde se tem uma vista linda da cidade, aí Murilo exclamou "que lindo mamãe!" Fiquei muito feliz de ver que eles sabiam o que estavam fazendo alí, e estavam gostando.
 
 
 
Perto de loches fica o zoológico de Beauval, uma grande descoberta dessa viagem! O zoológico está entre os 15 mais bonitos do mundo e tem mais de 5700 animais, incluindo pinguins, tigre branco, koala, panda, girafa... Um lugar realmente incrível. Os animais vivem em áreas bem espaçosas e o visitante chega bem perto deles, não se tem aquela sensação de jaula de zoológico. Os pequenos ficaram deslumbrados.
Tarifas: adulto 26,00 euros / crianças de 3-10 anos 20,00 euros
O zooparc se situa entre Tours e Vierzon. É possível ir de trem, a partir de Paris, até a gare de Blois, e de lá pegar uma navette. Nos finais de semana há uma navette que sai de Paris (porte maillot), leva até o zoológico e traz de volta no final do dia. Também há hoteis no zoológico para quem quiser dormir e visitar a região ou revisitar o zoológico.
Depois desses dias na Touraine, seguimos para Paris. Não tinha pretensão de visitar muita coisa, queria mesmo curtir a cidade com meus pimpolhos. Mesmo assim, fiz muito menos do que planejei! Não dá para correr com os pequenos... Minha ideia principal era andar pela cidade, brincar em parquinhos, fazer piqueniques, e isso foi tudo que conseguimos fazer!
Há parquinhos espalhados em toda Paris e são incríveis, gratuitos, seguros e instigantes para as crianças. Os brinquedos indicam a faixa etária adequada e o piso é de um material emborrachado para proteger das quedas. Alguns parquinhos são de areia. 
Fomos num parquinho bem pequenininho no Marais que os meninos amaram. Não tinha muito brinquedo mas era o suficiente para eles se divertirem. Também não tinha muita criança, apenas duas francesinhas com quem eles logo fizeram amizade.
 
Ainda nesse mesmo dia, fomos andando até o Jardin de Tuileries. Os meninos aproveitaram o trajeto para cochilar um pouco. O Jardin de Tuileries é incrível para crianças pequenas e eu nunca tinha percebido isso! Primeiro eles se encantaram com o Louvre e sua pirâmide, e com a vista da Torre Eiffel. Fomos andando do Louvre sentido Champs-Elysees. Passamos pelas bacias de água onde há pessoas com barquinhos de controle remoto, uma novidade para os pequenos. Depois, se mantendo do lado direito do jardim, há um parquinho muito legal para crianças pequenas e também para as maiorzinhas.
Continuando a caminhada em direção à Champs-Elysées, há um carrossel logo depois do parquinho, ainda do lado direito. O carrossel foi um grande sucesso, é lindo, com canções francesas infantis. Fomos 3 vezes! O ingresso custa 2,00 euros. Também há vários carrosseis espalhados em Paris, com certeza você cruza com pelo menos 1 passeando por Paris.
O melhor ainda estava por vir. Continuando a caminhada em direção à Champs-Elysées há um pula-pula perfeito! São quadrados individuais no chão, então não tem como a criança se machucar. Sempre fico apreensiva quando Murilo e Alice entram naqueles pula-pulas com outras crianças... O ingresso custa 2,00 por 10 minutos. Sucesso para eles e para a mamãe!
Depois de duas rodadas no pula-pula eles estavam exaustos! Hora para um lanchinho na Champs-Elysées.
Outro parquinho muito bom que fomos foi o do Champs de Mars. Primeiro fizemos nosso piquenique no Champs de Mars, de frente para a Torre. Decidi que não valeria a pena subir na Torre com eles. Comemos no jardim e eles adoraram brincar na grama, correr, se jogar no chão, a liberdade de um espaço tão grande para brincar. Para mim também foi ótimo, fiz um dos meus programas favoritos (piquenique na Torre) e pude apreciar meu vinho enquanto os pimpolhos brincavam. 
Depois fomos no parquinho, do lado direito se você estiver de costas para a Torre, já no final do Champs de Mars, perto da École Militaire. É um parquinho de areia muito legal. Alice e Murilo conseguiram fazer amizade e pegar pás e baldinhos emprestados. A quantidade de areia que conseguiu se acumular entre as camadas de roupa deles foi incrível! Depois do parquinho a gente deveria ir para o Aquarium de Paris, que fica no Trocadéro, mas eles brincaram tanto que não deu tempo... Além do aquário gostaria de ter ido no Museu de História Natural, no Bois de Boulogne, em Vincennes... fica para as próximas vezes!
Num outro dia, quando fizemos o piquenique de crepe, fomos para o Jardin de Luxembourg, um dos meus lugares preferidos em Paris. Pensei que seria o programa perfeito. O dia estava lindo,com sol e temperatura gostosa, depois de uma sequência de dias frios. 
E por isso mesmo o Jardim estava impraticável, nunca vi tanta gente! Para piorar a situação era um sábado. Tinha fila para entrar no parquinho infantil, que mais parecia um formigueiro... a impressão que eu tive é que se eu entrasse no parquinho nunca mais ía achar Murilo e Alice de tanta criança que tinha! Fila para o carrossel, fila para comprar água... realmente quando o dia for muito bonito, é melhor pensar diferente, e ir visitar um lugar fechado! Ainda ficamos um pouco no jardim, mas passamos o resto do dia passeando pelo quartier latin.
Um passeio que não dá para deixar de fora é a Eurodisney (veja mais dicas aqui). Fomos um dia, apenas para o parque Disneyland. Na verdade, ficamos praticamente somente na Fantasyland. A Disney é mágica e encanta em qualquer idade. Mesmo pequenininhos, Murilo e Alice adoraram. Tiveram medo do Pateta e do Mickey na hora de tirar foto, mas cantam até hoje a musiquinha "It's a small world".
Voilà! Espero que tenham gostado e que as dicas tenham sido úteis!

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!